O uso de corpos reais no estudo da Anatomia Humana é imprescindível para o ensino, pesquisa e extensão, contribuindo para a formação dos profissionais de saúde. A proximidade do estudante com o cadáver permite o aperfeiçoamento da formação humanística destes futuros profissionais, além de aprenderem a lidar com a morte e sua significação, questões que se repetirão ao longo de suas vidas profissionais. Entretanto, a carência de corpos para o ensino e a dificuldade de obtê-los, desencadeou, a nível mundial, o estabelecimento de legislações que regulamentem a doação de corpos para o ensino.

Em decorrência deste cenário, desenvolveu-se o Programa de Doação de Corpos para o Ensino e Pesquisa em Anatomia Humana na UFCSPA, implementado em 2008. Tal programa, desenvolvido pela disciplina de Anatomia, visa organizar e aperfeiçoar o processo de doação voluntária de corpos, em vida, para a universidade.

O programa não apenas disponibiliza maior quantidade de material (peças anatômicas) para o ensino, como também proporciona o desenvolvimento de outras atividades importantes para a formação acadêmica. Com o Programa de Doação de Corpos, tornou-se possível desenvolver atividades de extensão, como o curso “Oficina de Dissecação”, o qual gera a produção de materiais de qualidade para as aulas práticas de anatomia, auxilia no desenvolvimento de técnicas cirúrgicas e, a partir do que é produzido, viabiliza a realização do “Museu de Anatomia”. Essa exposição é aberta para a comunidade interna e externa à universidade, permitindo, assim, que o conhecimento seja compartilhado.

Assim, o gesto altruísta do doador qualifica o aprendizado, pois colabora com a ciência, auxilia na formação dos estudantes e promove benefícios para as gerações futuras que irão dispor de profissionais melhores qualificados para atendimento dos pacientes.

”Já dizia Hipócrates, o pai da medicina
“cure algumas vezes, alivie quando possível, console sempre”
para que dentro de nossas mentes
aceitemos a nossa sina
ao fazermos nossa parte
aperfeiçoando essa bela arte
como artesãos guiados pela mão divina.

Certa vez li em algum lugar
que pensar, é uma capacidade tão humana
se formos parar pra entender
o que poderia ser mais bacana
que estudar esse nobre ser?”

 

Álvaro de Andrade