• Duração (carga horária total): 3.350 horas
  • Modalidade: bacharelado
  • Integralização: mínima 4 anos / máxima 7 anos
  • Regime: semestral por disciplina
  • Turno: integral (vespertino e noturno)
  • Número de vagas: 40 (quarenta)
  • Formas de ingresso: SISU
  • Autorização: Resolução do CONSUN nº 26, de 10/10/2013
  • Reconhecimento do Curso: Portaria MEC/SESu nº 178, de 03/03/2021

Coordenação

  • Coordenador: Isabel Cristina Siqueira da Silva
  • Vice-coordenadora: Cecília Dias Flores
  • (51) 3303.8772 | Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Organização curricular

Serão oferecidas disciplinas que abarcam as duas áreas de atuação previstas para este curso: Informática em Saúde e Bioinformática. Os alunos terão acesso a essas disciplinas quando integralizarem a carga horária pertencente ao Núcleo Comum, exceção feita à carga horária de atividades complementares, que poderão ser cumpridas até o final do curso. A matrícula em disciplinas específicas das áreas de atuação terá ordem flexível. Os acadêmicos terão a escolha pela área de atuação e as matrículas específicas aconselhadas pelos professores orientadores.

 

A duração do Curso de Bacharelado em Informática Biomédica é de quatro anos, com matrículas anuais. O curso concentra-se nos turnos vespertino e noite, e o currículo é integrado por disciplinas obrigatórias com seriação estabelecida, e por disciplinas optativas, estágios, Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) e Atividades Complementares.

 

O currículo de Informática Biomédica está dividido em seis Eixos Estruturantes: Fundamentos de Matemática e Física; Ciências Biomédicas e da Saúde; Fundamentos de Computação, Tecnologia Computacional; Ciências Humanas e Sociais, Conteúdos Curriculares específicos de cada Área de Atuação, além do Eixo Integrador.

 

Cada série do curso está contemplada pelos diferentes eixos estruturantes citados acima, fazendo com que o aluno desenvolva as diferentes competências e habilidades necessárias ao longo de todo o curso.

 

Tomando como referência a sequência temporal, o curso está estruturado em três fases:

 

1. Fase básica: de fundamentação científica envolvendo conhecimentos de biologia humana (bioquímica, biologia celular e molecular, genética, anatomia, fisiologia e patologia), matemática (cálculo, álgebra, probabilidade e estatística), física básica e computação (programação de computadores, organização de computadores e estruturas de dados);

 

2. Fase intermediária: o aluno recebe formação tecnológica em computação (engenharia de software, banco de dados, inteligência artificial e redes de computadores) e em sistemas de informação em saúde, com uma abordagem mais aplicada dos conhecimentos básicos adquiridos na fase anterior;

 

3. Fase aplicada: o aluno recebe formação específica das duas áreas de atuação do curso, isto é, Bioinformática e Informática em Saúde, no sentido de conhecer suas aplicações profissionais e científicas, por meio de disciplinas obrigatórias e optativas, juntamente com disciplinas em que atua realizando atividade profissional (Estágio) e científica (Trabalho de Conclusão de Curso).

 

Ortogonalmente à sequência temporal de aprendizado, foi projetado para esta matriz um conjunto de eixos de conhecimento que são apresentados com as respectivas disciplinas, bem como com as competências e habilidades que são desenvolvidas. Os eixos servem para mostrar que a proposta de curso contempla um conjunto diversificado de fundamentos, instrumentais básicos e as interfaces com as ciências afins. No entanto, deve-se ter em mente a interdependência entre eixos e a sua ordenação.

Perfil do Aluno

As Diretrizes Curriculares que fundamentam o curso de Informática Biomédica são basicamente os da Computação, onde o perfil do egresso pode ser dividido em três componentes: Aspectos Gerais, Técnicos e Ético-Sociais. Sendo assim, o egresso do Curso de Informática Biomédica da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre – UFCSPA deverá apresentar as seguintes competências e habilidades gerais:

Aspectos Gerais

  • Capacidade para aplicar seus conhecimentos de forma independente, acompanhando a evolução do setor e contribuindo na busca de soluções nas diferentes áreas aplicadas à saúde;
  • Formação humanística, permitindo a compreensão do mundo e da sociedade, bem como o desenvolvimento de habilidades de trabalho em equipe e de comunicação e expressão;
  • Preocupação constante com a atualização tecnológica e com o estado da arte na área da tecnologia e inovação em saúde;
  • Conhecimento da língua inglesa; e
  • Conhecimento básico das legislações trabalhista e de propriedade intelectual.

Aspectos Técnicos

  • Processo de projeto para construção de soluções de problemas nas áreas da saúde e biológicas com base científica;
  • Especificação e modelagem de soluções computacionais para diversos tipos de problemas relacionados às áreas da saúde e biológicas;
  • Verificação, avaliação e validação da solução de um problema de forma efetiva;
  • Análise, projeto e desenvolvimento de sistemas computacionais para as áreas da saúde e biológicas; e
  • Critérios para seleção de software e hardware adequados às necessidades empresariais, industriais, administrativas de ensino e de pesquisa para as áreas da saúde e biológicas.

Aspectos Ético-Sociais

  • Respeitar os princípios éticos da área de computação e da saúde;
  • Implementar sistemas que visem melhorar as condições de trabalho dos usuários, sem causar danos ao meio-ambiente;
  • Facilitar o acesso e a disseminação do conhecimento nas áreas de computação, saúde e biológicas; 
  • Ter uma visão humanística crítica e consistente sobre o impacto de sua atuação profissional na sociedade.

As atividades desses profissionais englobam: (a) a investigação e desenvolvimento de conhecimento teórico na área de computação; (b) a análise e modelagem de problemas do ponto de vista computacional para as áreas biológica e de saúde; e (c) o projeto e implementação de sistemas de computação nessas áreas.”