As atividades do INCT-IDM serão estrategicamente concentradas em quatro áreas: infectologia, oncologia, genética e avaliação de tecnologias em saúde.

As ações deste Instituto se darão em três pilares: (i) em curto prazo, pretende-se: realizar revisões sistemáticas sobre testes moleculares e proceder com experimentos laboratoriais para desenvolver os testes moleculares in house, que serão utilizados nas etapas seguintes de validação clínica; (ii) em médio prazo, conduzir-se-ão estudos clínicos para validar os testes moleculares desenvolvidos nas etapas iniciais; (iii) por fim, planeja-se construir, com base na melhor evidência disponível, diretrizes para o uso clínico dos testes moleculares.

Mobilidade acadêmica é prevista durante a execução deste projeto, particularmente em articulação com nossos colaboradores internacionais, em um intuito de promover crescente internacionalização. Os encontros entre os pesquisadores nacionais do INCT-IDM deverão ocorrer quando da realização de eventos científicos das sociedades afins e/ou através de web meetings.

Programa científico

O programa científico do Instituto reflete as atuais linhas de pesquisa dos pesquisadores doutores que o compõem, fortalecidos pela aquisição de equipamentos que permitirão a produção de informação cientificamente mais competitiva, amparada por uma rede nacional e internacional de colaboradores. A participação de alunos é intensamente estimulada, incluindo estudantes do ensino médio, alunos de mestrado e doutorado, e pós-doutorandos. O INCT-IDM deverá trazer benefícios adicionais à geração de conhecimento científico, incluindo o desenvolvimento de produtos potencialmente patenteáveis, os quais poderão interessar a empresas do setor. Transferência do conhecimento e tecnologias para hospitais filantrópicos e/ou ligados ao Sistema Único de Saúde (SUS) é meta primordial do INCT-IDM, sendo isto algo que já vem ocorrendo no grupo. Neste contexto, cabe destacar que a implementação do processo de gestão de tecnologias no sistema de saúde brasileiro é orientada pela Política Nacional de Gestão de Tecnologias em Saúde (PNGTS), a qual norteia as ações em avaliações de tecnologia em saúde no Brasil. Além disso, a Lei nº 12.401, de 28/abril/2011, que dispõe sobre a assistência terapêutica e a incorporação de tecnologias em saúde no âmbito do SUS, atribuiu à Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (CONITEC) a função de incorporação, exclusão ou alteração dessas tecnologias no SUS. Neste sentido, INCT-IDM se propõe a apresentar conceitos de avaliação de tecnologias em saúde, bem como orientar a elaboração de pareceres técnico-científicos em diagnóstico molecular. O parecer é uma ferramenta de resposta rápida que dá suporte à gestão e à tomada de decisão em saúde, baseada em evidências científicas. Sua execução e conteúdo devem ser simplificados e de linguagem acessível. Além de subsidiar a tomada de decisão, os resultados de um parecer podem sugerir a realização de novos estudos quando a evidência for insuficiente.

As ações do Instituto vão ao encontro do Plano de Ação em Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional, do Governo Federal, que envolve: (i) Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação; (ii) Inovação na Sociedade e nas Empresas; (iii) Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em Áreas Estratégicas; (iv) Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Social. Considerando que a Saúde é uma das áreas estratégicas dentro deste Plano, a geração de novos produtos, processos e serviços que proporcionem melhora nas condições de saúde para a sociedade, além de impactarem, direta ou indiretamente na economia do país, é uma das metas a serem alcançadas por este INCT.