Pesquisa foi publicada na BMJ Global Health.

Um artigo de autoria do professor Airton Tetelbom Stein em parceria com pesquisadores nacionais e internacionais aborda as contribuições do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ) para a redução de internações hospitalares no Brasil. O estudo teve como objetivo estimar a associação entre o programa  e o número de hospitalizações originárias da atenção ambulatorial em 5.564 municípios entre 2009 e 2018, considerando-se paralelamente dados demográficos, socioeconômicos e de oferta de saúde.

A metodologia utilizada foi uma análise de dados, controlando a cobertura de saúde primária, considerando leitos hospitalares por 10 mil habitantes, educação, produto interno bruto real per capita e densidade populacional. Como variável, foi considerado também o percentual de equipes de saúde da família participantes do PMAQ. Foi realizada uma análise de sensibilidade, comparando-se as hospitalizações vindas da atenção ambulatorial com as originárias de acidentes de transporte, a fim de evitar resultados imprecisos.

Como resultados, a pesquisa mostrou que a expansão do PMAQ esteve associada a uma redução modesta nas internações evitáveis ​​para todas as faixas etárias, com maior impacto para crianças menores de 5 anos. O estudo identificou ainda que a expansão do PMAQ foi associada a uma redução nas hospitalizações por gastroenterite na faixa etária dos 0 a 4 anos, por asma na de 5 a 19 anos e por doença renal na de 20 a 64 anos.

O PMAQ-AB existe desde 2011 no Brasil e tem como objetivo incentivar gestores e equipes a melhorar a qualidade dos serviços de saúde. Para isso, propõe um conjunto de estratégias de qualificação, acompanhamento e avaliação do trabalho das equipes de saúde.

O artigo "Pay for performance in primary care: the contribution of the Programme for Improving Access and Quality of Primary Care (PMAQ) on avoidable hospitalisations in Brazil, 2009–2018" foi publicado na BMJ Global Health e contou com financiamento do Newton Fund do Reino Unido - CONFAP. O texto pode ser conferido na íntegra neste link.

 São autores do artigo:

  • Letícia Xander Russo - Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)
  • Timothy Powell-Jackson - London School of Hygiene and Tropical Medicine
  • Jorge Otavio Maia Barreto - Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
  • Josephine Borghi - London School of Hygiene and Tropical Medicine
  • Roxanne Kovacs - London School of Hygiene and Tropical Medicine
  • Garibaldi Dantas Gurgel Junior - Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
  • Luciano Bezerra Gomes - Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
  • Juliana Sampaio - Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
  • Helena Eri Shimizu - Universidade de Brasília (UNB)
  • Allan Nuno Alves de Sousa - Ministério da Saúde
  • Adriana Falangola Benjamin Bezerra - Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
  • Airton Tetelbom Stein - Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA)
  • Everton Nunes Silva - Universidade de Brasília (UNB)