Reitoria lançará, em breve, consulta à comunidade acadêmica para sugestões.

Ocorreu na manhã desta terça-feira, 23, o evento "Saiba Mais" sobre o tema "Programa de Gestão/Teletrabalho". Na ocasião, o grupo de trabalho para estudo da Instrução
Normativa 65, de 30 de julho de 2020, apresentou informações sobre os procedimentos a serem observados para a implementação de Programa de Gestão no âmbito da UFCSPA.

Na apresentação foi informado que o teletrabalho é uma modalidade de exercício das funções profissionais (fora das dependências físicas da instituição), de forma integral ou parcial. Conforme a normativa, não são todas as atividades que poderão realizar o teletrabalho, sendo excluídas, por exemplo, as atividades cuja natureza exija a presença física do participante na unidade. A implementação de programa de gestão é facultativa à Administração Pública e ocorrerá em função da conveniência e do interesse do serviço, não se constituindo direito do participante.

O grupo de trabalho destacou que é facultativa a adesão do servidor ao programa de gestão e que o servidor deverá atuar conforme um plano de trabalho a ser instituído junto com sua chefia imediata. É importante ressaltar que a instrução normativa não prevê compensação financeira para gastos que o trabalhador poderá ter na realização de suas funções a distância.

Para execução do teletrabalho, a instituição deverá utilizar sistema informatizado apropriado como ferramenta de apoio tecnológico para acompanhamento e controle do cumprimento de metas e alcance de resultados. O grupo de trabalho analisou os sistemas da CGU e da Susepe, sendo esse último o mais próximo da proposta da UFCSPA para a modalidade, pois permite uma interação democrática entre chefia e subordinados.

O Saiba Mais também apresentou os resultados da pesquisa realizada pela Pró-Reitoria de Gestão com Pessoas (Progesp) com a comunidade acadêmica, com as respostas dos técnico-administrativos (TAEs) e de docentes que atuam como chefias de TAEs na UFCSPA . Conforme os dados, 62,6% dos TAEs e 69,4% dos docentes gostariam de realizar o teletrabalho de forma parcial. Outros 27% dos TAEs e 7,6% dos docentes têm interesse em executar suas tarefas apenas em teletrabalho. Em contrapartida, 10,4% dos TAEs e 23% dos docentes não revelaram interesse na adesão à proposta.

Após a apresentação, foram respondidas perguntas dos participantes. Além do GT do Teletrabalho, integraram o evento online a reitora Lucia Pellanda e a pró-reitora de Gestão com Pessoas Ana Vazquez. Em breve, a Reitoria lançará uma consulta pública à comunidade acadêmica em que poderão ser enviadas críticas e sugestões.

A apresentação completa do grupo de trabalho pode ser conferida neste link.