Com a reabertura das atividades comerciais no Estado, muitas pessoas tiveram que voltar ao trabalho. Ao final de um período de mais de 60 dias de isolamento, os trabalhadores estão com dificuldade em saber como proceder nas atividades que antes eram parte da rotina diária, já que a pandemia de Covid-19 permanece entre nós. “Como proceder no ônibus ou trem? O que fazer ao chegar no local de trabalho? Como realizar o almoço fora de casa?” são algumas das dúvidas apontadas.

 

A professora de Biossegurança da UFCSPA, Cláudia Bica, respondeu estas questões a pedido da Assessoria de Comunicação Social da UFCSPA. Segundo ela, a orientação é manter etiqueta respiratória e nunca tocar olhos, boca ou nariz com as mãos sujas. Como ainda não foram descobertas vacina ou cura para a doença, as principais forma de evitar o contágio pelo novo coronavírus (SARS-COV-2) permanecem sendo o distanciamento físico e a higienização com frequência das mãos, com água e sabão, ou álcool 70% na ausência desta possibilidade.

 

Um dos cuidados a serem tomados, também, na prevenção ao vírus, é com o uso da máscara. Ela deve ser colocada no rosto com as mãos higienizadas e não ser tocada até a hora da retirada. A máscara também deverá ser trocada a cada duas horas de uso ou sempre que estiver úmida. As proteções sujas devem ser guardadas em um saco plástico e levadas para casa para sua correta higienização (deixar a máscara de molho em uma solução de uma colher de água sanitária para um litro de água).  

 

Ao sair de casa, o trabalhador deve colocar a máscara e levar a quantidade necessária para a realização de trocas ao longo de sua jornada. Para uma jornada de oito horas, por exemplo, são recomendadas quatro máscaras. Também é indicado utilizar mangas compridas e prender os cabelos, para reduzir a superfície de contágio. 

 

No transporte público, é fundamental, além de utilizar máscara, tentar manter o distanciamento físico de outras pessoas. Recomenda-se higienizar as mãos com álcool gel sempre antes de entrar e após sair do ônibus/trem. O usuário do coletivo deve procurar manter as janelas abertas (se houverem) e tentar se sentar nos locais mais ventilados, tocando o menor número possível de superfícies. 

 

Em táxis e carros de aplicativos, o trabalhador deve verificar se o motorista está utilizando máscara de proteção e manter os cuidados de tocar o mínimo possível de objetos, sempre fazendo uso do álcool gel. Também é recomendado pedir ao motorista para manter ao menos uma janela aberta e pagar, preferencialmente, com cartão.

 

Ao chegar no local de trabalho, o profissional deve lavar bem as mãos com água e sabão. É necessário manter a máscara no rosto e cuidar para que as janelas sejam mantidas abertas, para a circulação do ar. É recomendado evitar o uso de elevador, dando preferência para as escadas. Caso seja necessário o uso do elevador, o trabalhador deve procurar utilizá-lo apenas quando estiver vazio, usando um lenço de papel para apertar os botões. No ambiente de trabalho, o chimarrão não deve ser dividido com os colegas e não podem ser compartilhados os utensílios de cozinha (copos, canecas, talheres, etc). 

 

No intervalo do almoço, é fundamental que o trabalhador mantenha o distanciamento físico. Não devem ser compartilhadas mesas com outras pessoas. É necessário realizar a higiene das mãos antes de se alimentar. Uma dica da professora Cláudia Bica é para que sejam escolhidos restaurantes bem arejados e com uma quantidade menor de frequentadores. É importante recordar, que por decreto estadual estão proibidos os restaurantes do tipo buffet. 

 

No retorno para a residência, para evitar o contágio dos demais moradores, as dicas são as mesmas já recomendadas para saídas necessárias, como a ida a farmácias e supermercados, por exemplo. A pessoa deve separar uma área suja na entrada de sua casa para deixar as roupas e os sapatos que vieram da rua. Colocar as roupas para lavar ou deixar dentro de um saco plástico no cesto de roupas até a lavagem. Tomar um banho lavando bem as partes do corpo que estiveram expostas. Limpar celular, óculos e chaves com álcool 70%.

 

Além disso, é importante manter uma etiqueta respiratória tanto em casa, quanto no local de trabalho e mesmo no transporte público. Se precisar espirrar ou tossir, colocar o cotovelo em frente à boca ou nariz, procedendo a higiene no local em seguida. Durante a pandemia, não é recomendado ir trabalhar com febre. Caso apareçam sintomas respiratórios, o profissional deverá ficar em casa, informar a chefia e contatar o Disque Saúde, pelo telefone 136 para receber orientações.

 

A reitora e médica epidemiologista Lucia Pellanda alerta para que, mesmo com o retorno das atividades comerciais, as pessoas não pensem que a epidemia acabou e que podem se descuidar: “A liberação de algumas atividades econômicas não significa que o distanciamento físico não é mais necessário. Como devemos reduzir a circulação total de pessoas para poder interromper o espalhamento do vírus, agora é ainda mais importante que, quem puder, fique em casa. Quem fica em casa ajuda a proteger quem precisa sair. Então, é fundamental continuar evitando todas as saídas desnecessárias e mantendo todos os cuidados quando for preciso sair”.