Histórico do Curso

O Mestrado Profissional em Saúde da Família (PROFSAÚDE) é uma proposta de curso em rede nacional, apresentado pela Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO) e instituições de ensino e pesquisa que atuam no país. Este curso tem a finalidade de formar profissionais de saúde que atuam no Saúde da Família/Atenção Básica nos diversos municípios brasileiros. Pretende ainda fomentar a produção de novos conhecimentos e inovações na atenção básica no país, considerando as diversidades regionais e locais, integrando parcerias entre instituições acadêmicas e gestores da saúde pública.
Inicialmente o PROFSAÚDE será destinado a formação de profissionais médicos, com a incorporação futura de outras categorias profissionais. 

Objetivos do Curso

  • Formar profissionais de saúde para exercerem atividades de docência, preceptoria e gestão;
  • Formar profissionais de saúde para exercerem atividades de investigação e de ensino nas unidades de saúde;
  • Fortalecer as atividades de produção do conhecimento e ensino na Saúde da Família nas diversas regionais do país;
  • Qualificar o profissional do Programa Mais Médicos para o trabalho no Saúde da Família/Atenção Básica;
  • Articular elementos da educação, atenção, gestão e investigação no aprimoramento do ensino na Saúde da Família;
  • Estabelecer uma relação integradora entre o serviço de saúde, os trabalhadores e os usuários.

Perfil do profissional a ser formado

Busca-se, com a proposição do PROFSAÚDE, formar profissionais que apresentem as seguintes competências e habilidades:
  • capacidade para desenvolver atividades de docência integrando ensino e serviço;
  • capacidade para desenvolver atividades de educação em saúde no contexto da atenção básica;
  • capacidade para realizar a gestão do cuidado no indivíduo, família e comunidades;
  • capacidade desenvolver e coordenar atividades de preceptoria de serviços básicos de saúde;
  • capacidade de utilizar métodos de investigação na produção de conhecimento nos serviços de saúde;
  • capacidade de realizar atenção integral a saúde na estratégia de Saúde da Família;
  • capacidade desenvolver a formação para o trabalho no SUS com ênfase na atenção básica.

Linhas de Pesquisa

Área de Concentração: Saúde da Família 

Atenção integral aos ciclos de vida e grupos vulneráveis

Esta linha tem como objetivo desenvolver pesquisas que considerem o conceito de risco, vulnerabilidade e determinantes sociais em saúde e suas aplicações para a atenção à saúde. Pretende-se estudar o cuidado as famílias, seus ciclos de vida e os respectivos instrumentos para abordagem familiar. Estudos que tenham a temática da atenção aos ciclos de vida (criança, adolescente, mulher, adulto, idoso), grupos e ações prioritários (gestantes, doenças negligenciadas, doenças crônicas não transmissíveis, doenças infecciosas, saúde mental e saúde bucal) e grupos vulneráveis (população em situação de rua, de pobreza, áreas de risco etc). Além da reflexão sobre o processo de construção de projetos terapêuticos singulares nestas populações e sobre as políticas públicas relacionadas à saúde e ao desenvolvimento social existentes voltadas para estes grupos. Processos de trabalho ligados a cogestão de coletivos e apoio matricial também são foco de estudos desta linha.

Atenção à saúde, acesso e qualidade na atenção básica em saúde

Esta linha tem como objetivo desenvolver estudos sobre o processo saúde-doença-cuidado e os modelos tecnoassistenciais em saúde, a visão crítica sobre a biomedicina e a medicina centrada na pessoa, onde a singularidade dos sujeitos, a clínica ampliada e compartilhada são temas de interesse. Considerando que o primeiro contato do indivíduo no sistema de saúde (acesso), a integralidade, o vínculo longitudinal e a coordenação do cuidado são atributos essências da APS estudos que aprofundem estes temas serão fomentados de forma a qualificar as práticas de cuidado pela saúde da família. A construção das redes de atenção à saúde para o SUS e o conceito de território incluindo suas dimensões cultural, social, política e geográfica fazem parte do escopo de pesquisas. Destacam-se ainda estudos acerca das dimensões da qualidade dos serviços de saúde. Para tal são necessárias reflexões acerca do processo de trabalho na perspectiva do cuidado em equipe multiprofissional e suas aplicações no cotidiano dos serviços de saúde, considerando o trabalho em saúde no âmbito da micropolítica. Temas como acolhimento, atenção à demanda espontânea e programada, são disparadores desse processo organizacional.

Educação e saúde: tendências contemporâneas da educação, competências e estratégias de formação profissional

Esta linha tem como objetivo desenvolver pesquisas que permitam estudar e experimentar concepções teórico-metodológicas mais adequadas para orientar a formação de profissionais de saúde a desenvolverem projetos e práticas de educação em saúde, em nível da atenção básica, visando ao empoderamento das pessoas, famílias e comunidades em prol de mudanças para uma vida mais saudável, de qualidade. Os estudos devem se voltar para inovações curriculares, para os processos de ensino, de aprendizagem e de avaliação de impacto da incorporação de novas tecnologias, e para a formação e capacitação de profissionais de saúde e de docentes inseridos e vinculados ao Saúde da Família/Atenção Básica. As ações a serem desenvolvidas são as que integram a universidade e os serviços de saúde, gerando conhecimentos sobre a formação de alunos, preceptores e profissionais de saúde e de ordenação de suas práticas , de modo que orientem e contribuam para mudanças na formação e respondam às demandas de saúde da sociedade, visando a qualidade da assistência prestada no SUS.

Gestão e avaliação de serviços na Estratégia de saúde da família/atenção básica

Esta linha tem por objetivo desenvolver pesquisas que produzam evidências organizacionais, com base em modelos de gestão e assistenciais relacionados à Saúde da Família/Atenção Básica. Desenvolver estudos avaliativos que investiguem processos, resultados e/ou impacto de ações e programas relativos à saúde individual, familiar e comunitária e metodologias de avaliação, com foco na melhoria da efetividade e qualidade, formulando critérios e indicadores mais adequados ao campo de práticas de Saúde da Família/Atenção Básica. Pretende-se ainda testar modelos interdisciplinares em prevenção e promoção da saúde, participação comunitária e controle social. A natureza dos estudos dessa linha é quantitativa ou qualitativa e seus resultados aplicáveis aos serviços de saúde e a gestão de Saúde da Família/Atenção Básica.

Informação e saúde

Esta linha tem por objetivo a análise das características e entraves à melhoria da qualidade das informações em saúde. O Gerenciamento da informação e tomada de decisões na atenção primária: importância e dificuldades da produção de dados em nível local. Análise crítica de indicadores. Principais sistemas de informação em saúde relacionados a atenção básica em saúde: cenário atual e perspectivas (e-SUS). Segurança e confiabilidade da informação nos registros eletrônicos. Estudos sobre padronização e interoperabilidade de sistemas de informação em saúde e suas repercussões para o registro eletrônico em saúde, plataforma de pesquisas clínicas, prontuário estruturado/eletrônico do paciente. Geoprocessamento.

Pesquisa Clínica: interesse da atenção básica

Esta linha tem por objetivo desenvolver estudos sobre bases operacionais da Gestão da Clínica, a produção de evidências clínicas, linhas de cuidado, protocolos clínicos e assistenciais e sua utilização na Saúde da Família à luz da integralidade do cuidado (prevenção, diagnóstico, terapêutica e reabilitação). Relação Médico Paciente e o método clínico centrado na pessoa. Avaliação da incorporação de tecnologias em saúde; estudos que considerem a eficácia, efetividade e eficiência de intervenções, programas, novos medicamentos e tecnologias em saúde. Estudos que considerem a epidemiologia clínica e sua aplicação aos serviços de saúde.

Vigilância em Saúde

Esta linha tem como objetivo, desenvolver pesquisas acerca Bases da Vigilância em Saúde e sua integração com o Saúde da Família/Atenção Básica. Contextualizar as vigilâncias: epidemiológica (VE), sanitária (VISA), ambiental (VA) e do trabalhador (VST), como componentes operacionais que materializam e subsidiam a promoção e a proteção da saúde da população.
 

Arquivos

Matriz Curricular

Disciplinas Obrigatórias

Disciplina CH Créditos
ATENÇÃO E GESTÃO DO CUIDADO 60 4
ATENÇÃO INTEGRAL NA SAÚDE DA FAMÍLIA 60 4
EDUCAÇÃO NA SAÚDE 60 4
PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO NA SAÚDE DA FAMÍLIA 45 3
PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO EM SERVIÇOS DE SAÚDE 60 4
PROMOÇÃO DA SAÚDE 45 3
SEMINÁRIOS DE ACOMPANHAMENTO 60 4
SISTEMA DE INFORMAÇÃO NO CUIDADO E NA GESTÃO 45 3
TÓPICOS ESPECIAIS EM SAÚDE DA FAMÍLIA 45 3

Regime Didático

O Mestrado Profissional em Saúde da Família terá duração mínima de 18 meses e máxima de 24 meses, com carga horária total de 1020 horas. Serão 42 créditos distribuídos entre 32 créditos para as disciplinas obrigatórias e 10 créditos para disciplinas eletivas. As atividades didático-pedagógicas serão desenvolvidas pelas instituições associadas. Todas as regiões seguirão o formato e a estrutura curricular modular aprovados pelo colegiado do curso, oferecendo-as mesmas atividades obrigatórias e respectivas avaliações.

Será exigido do aluno um mínimo de 75%(setenta e cinco por cento) de frequência nas atividades. A admissão do curso será realizada por um exame nacional conforme regulamento do curso. O candidato aprovado e classificado na seleção deverá efetuar sua matrícula na instituição associada do estado o qual o aluno foi selecionado, obedecendo aos prazos fixados no seu calendário.

Inscrição e Seleção

Chamada de Seleção Pública 2021

Chamada para Ingresso de Novos Docentes - 2019

Chamada de Seleção Pública 2019

Chamada de Seleção Pública 2018 

Chamada de Seleção Pública n° 1/2016 PROFSAUDE/ MPSF