Universidade junta-se a outras instituições em iniciativa organizada pelo Supremo Tribunal Federal

Reitora Lucia Pellanda e Secretária de Comunicação do STF Mariana Oliveira assinam termo de adesão da universidade (Janine Bargas/UFCSPA)

Foi oficializada em 27 de novembro a adesão da UFCSPA ao Programa de Combate à Desinformação do Supremo Tribunal Federal (STF), uma iniciativa criada para combater práticas que afetam a confiança das pessoas na Suprema Corte, distorcem ou alteram o significado das decisões e colocam em risco direitos fundamentais e a estabilidade democrática.

O ingresso da universidade no programa foi viabilizado após participação da reitora Lucia Pellanda e da coordenadora de Comunicação Social da UFCSPA Janine Bargas à Brasília (DF) no Seminário "Combate à Desinformação e Defesa da Democracia”, realizado nos dias 14 e 15 de setembro deste ano. O evento foi uma realização conjunta do STF e do Colégio de Gestores de Comunicação das Universidades Federais (Cogecom) da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), que também integra o Programa.

Responsável pela aplicação do programa na UFCSPA em conjunto com a servidora e jornalista Márcia Schmitt Veronezi Cappellari, a professora Janine Bargas salienta a importância do alinhamento institucional da universidade aos esforços de combate à desinformação. "A partir desta adesão, a universidade irá desenvolver um plano de ações de comunicação institucional e de outras iniciativas acadêmicas, além da participação em eventos e apoio às ações do STF nessa linha", projeta.

"Em um contexto de infodemia, que é a profusão de informações descontextualizadas, não verificadas e até mesmo mentirosas, é importante que a UFCSPA se coloque como um ator participante neste ecossistema de informação, contribuindo para a produção de conteúdos que ajudem a efetivamente informar a sociedade", acrescenta a coordenadora.

Segundo informações do STF, as ações de comunicação previstas no programa serão baseadas nos princípios de Alfabetização Midiática, Contestação de Notícias Falsas e Valorização da Corte e Instituições Democráticas. Mais informações sobre a iniciativa podem ser conferidas na página oficial do Supremo.