A Banda Virtual traz para o público “Corta-jaca”, uma das músicas mais lembradas da compositora, pianista e primeira maestrina do Brasil, Chiquinha Gonzaga. O tango intitulado “Gaúcho” ficou conhecido como “Corta-jaca”, em referência ao apelido dado ao episódio histórico que marcou sua apresentação. Com arranjo do maestro Marcelo Rabello dos Santos, a peça musical foi interpretada e gravada, individualmente, pelos instrumentistas da Banda e depois enviada ao regente para edição. Uma receita que já rendeu seis excelentes apresentações.

A composição, que Chiquinha fizera para o teatro, ganhou grande repercussão na política brasileira ao ser apresentada, em 1914, no Palácio do Catete. Em uma cerimônia oficial, a música foi executada ao violão pela primeira-dama Nair de Tefé, esposa do presidente Hermes da Fonseca. O fato foi um ultraje aos padrões da época. Nas palavras do então senador Rui Barbosa “A mais baixa, a mais chula, a mais grosseira de todas as danças selvagens, a irmã gêmea do batuque, do cateretê e do samba”. Já para a arte e a cultura nacional o fato é considerado a alforria da música popular brasileira.

A vanguardista, pianista e maestrina carioca Chiquinha Gonzaga (1847-1935) compôs mais de duas mil canções populares, entre elas a primeira marchinha de carnaval: "Ô abre alas"(1889). Em 2012, a importância de sua obra foi reconhecida em lei, quando a data de seu aniversário, 17 de outubro, foi oficializada como o Dia Nacional da Música Popular Brasileira.