Novos testes serão realizados neste final de semana e segunda-feira (25, 26 e 27/04) 

O estudo realizado pela Ufpel em parceria com o Governo do Estado, a UFCSPA e outras 11 universidades do Rio Grande do Sul entra em sua segunda fase nos dias 25, 26 e 27 de abril. Serão realizados 4,5 mil testes rápidos e entrevistas em nove cidades gaúchas. A pesquisa tem como objetivo mapear os casos de coronavírus no estado, avaliar a velocidade de disseminação da Covid-19 e fornecer subsídios para estratégias de saúde pública baseadas em evidências científicas. 

A ideia é realizar novos testes a cada 15 dias. A primeira etapa foi realizada entre os dias 11 e 13 de abril e as próximas deverão ocorrer entre 9 a 11 de maio e entre 23 a 25 de maio.

Para realizar as entrevistas e testes rápidos para a Covid-19 na população, entrevistadores da pesquisa irão visitar 500 domicílios em cada uma das cidades sentinela das regiões demográficas do RS segundo critérios do IBGE: Pelotas, Porto Alegre, Canoas, Santa Maria, Uruguaiana, Santa Cruz do Sul, Ijuí, Passo Fundo e Caxias do Sul. Em cada município, serão sorteados aleatoriamente os domicílios que participarão no estudo e, em cada domicílio, um novo sorteio determinará o morador que irá realizar o teste rápido.

Os entrevistadores são todos estudantes ou profissionais da área da saúde que estão atuando de forma voluntária. Eles estão identificados com crachás do estudo e utilizam equipamentos de proteção individual – máscaras, óculos, luvas e jalecos. Durante a visita, os entrevistadores aplicam um breve questionário e coletam uma amostra de sangue (uma gota) da ponta do dedo do participante. O teste rápido detecta a presença de anticorpos (defesas produzidas pelo organismo que aparecem somente depois de sete a dez dias da data de contágio pelo vírus). Dentro desse período, o resultado pode apontar negativo, mesmo que a pessoa tenha contraído o coronavírus. Em caso de resultado positivo, os participantes recebem um informativo com orientações e, em seguida, são contatados para acompanhamento e suporte da secretaria de saúde local.

O estudo coordenado pela Ufpel mobiliza uma rede de 12 instituições de ensino superior pública e privadas: Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA); Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos); Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc); Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ); Universidade Federal de Santa Maria (UFSM); Universidade Federal do Pampa (Unipampa/Uruguaiana); Universidade de Caxias do Sul (UCS); IMED, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS/Passo Fundo), Universidade de Passo Fundo (UPF) e Universidade La Salle (Unilasalle).

Os custos do estudo, de R$ 1,5 milhão, têm financiamento da Unimed Porto Alegre, do Instituto Cultural Floresta, também da capital, e do Instituto Serrapilheira, do Rio de Janeiro.

Os resultados serão divulgados por integrantes da coordenação do estudo e do Governo do RS em aproximadamente 48 horas após a finalização de cada rodada do inquérito populacional.

Para saber mais sobre os resultados da primeira etapa da pesquisa, acesse o site do Centro de Epidemiologia da UFPel em https://bit.ly/fase1-Epicovid19

Com informações da Ufpel